Caro Padre Angelo 

Me chamo Ana e gostaria de saber se a Santa Missa além do pedido de sufrágio para os defuntos, pode ser oferecido também para os vivos. Fiz o pedido na minha Paróquia e me disseram que não é possível! Mas a Santa Missa é a maior Oração que podemos dedicar à uma pessoa que tem uma necessidade particular. Obrigado pela atenção, uma serena tarde. 


Cara Ana 

1.Você está completamente certa, e não entendo porque te deram uma resposta negativa. Provavelmente quem te respondeu desta maneira não era um Sacerdote, pois os Sacerdotes estas coisas sabem. Ou, vocês não se entenderam bem, no sentido que, para um defunto é possível mencionar o nome, mas não é previsto que se pronuncie o nome dos vivos, a não ser que se trate de uma celebração matrimonial. 

2. É tão importante celebrar para os vivos e as suas necessidades (principalmente de conversão), quanto para os defuntos. Trago do livro “História de uma Alma de Santa Terezinha de Jesus Menino”, dois preciosos depoimentos sobre a importância da celebração pelos vivos. 

3.O primeiro depoimento está ligado à Santa, que quando era pequena teve uma doença misteriosa que a estava conduzindo à morte. Ela mesma vai dizer que a origem daquele mal, era de proveniência diabólica. Mas, vejamos o que ela escreveu: “Um dia avistei papai entrar no quarto de Maria onde eu estava deitada: deu a Maria muitas moedas de ouro com uma expressão de grande tristeza, dizendo que se escrevesse para Paris pedindo Missas em Honra a Nossa Senhora das Vitórias, com a intenção de cura para a sua pobre filha. Ah! Como me emocionei, vendo a fé e o amor do meu caro rei! Gostaria de ter dito : “estou curada”!, mas tendo já dado tantas falsas alegrias, não bastava a minha vontade pra ter um milagre, pois, de verdade era necessário um milagre para a minha cura. Era necessário um, e o fez Nossa Senhora das Vitórias. Um domingo, durante a Novena das Missas(era o último dia da novena, 13 de maio, festa de pentecoste), Maria saiu no jardim, deixando-me com Leonia que estava lendo perto da janela; após alguns minutos iniciei a chamar a baixa voz “mamãe…mamãe…”. Leônia estava acostumada a me ouvir chamar sempre assim, e não deu tanta importância. O fato durou por bastante tempo, então iniciei a chamar com mais força, e finalmente Maria voltou,…sofria talvez, mais do que eu; após inúteis esforços para mostrar que estava do meu lado, se prostrou de joelhos perto da minha cama, com Leônia e Celina, e se voltaram à Virgem Santa rezando com o fervor de uma mãe, ao qual pede pela vida do filho:e naquele momento recebeu o que desejava”(história de uma alma) 

4.”Não encontrando ajuda terrena, a pobre Tereza, se voltou à Mãe do Céu, e implorava de todo coração que tivesse finalmente piedade da sua condição… De repente a Virgem Santa me apareceu linda, tão linda que eu nunca tinha visto algo tão lindo assim a este ponto, a sua expressão era de bondade e ternura inefável, mas o que penetrou-me toda a alma foi o sorriso estupendo da Madonna.” Então todo o meu sofrimento desapareceu, grandes lágrimas banharam o meu rosto, mas eram lágrimas de alegria sem sombras. Ah, eu pensei, a Virgem Santa me sorriu, como sou feliz! Mas não vou dizer a ninguém, para assim minha felicidade não desaparecer. Sem nenhum esforço, abaixei os olhos e avistei Maria que me olhava com amor, parecia emocionada, como se entendesse a graça que a Madonna me tinha feito. Ah! Foi próprio, graças a ela, às suas comoventes orações, que eu devia a graça do sorriso que me foi concedido, da parte da Rainha dos Céus. Vendo os meus olhos fixos na Virgem Santa, ela pensou “Teresa está curada” 

5.O segundo depoimento tem a ver com a conversão de um grande delinquente. Se trata de Enrico Pranzini, de 31 anos, alessandrino. Tinha estrangulado duas mulheres e uma menina para roubar. O fato ocorreu no dia 17 de março de 1887. O seu processo terminou no dia 13 de julho de 1887 com a condenação à morte. Foi executado no dia 31 de agosto sucessivo. Mas então vamos ao que escreveu a nossa Santa :” se falava de um grande criminoso, que foi condenado à morte por delitos horríveis, e tudo se fazia entender que este fosse executado sem arrependimento e penitência. Quiz a qualquer custo que este não caísse no inferno,e para obter o meu intento, usei todos os meios inimagináveis; consciente que por mim mesma,eu nada podia, pensei em oferecer ao bom Deus todos os méritos infinitos de Nosso Senhor, os tesouros da Santa Igreja, e finalmente pedi a Celina que fizesse dizer uma Missa segunda as minhas intenções, não ousando eu mesma pedir, por medo que me fizessem confessar que era para Pranzini, o grande criminoso. Não queria dizer nem para Celina, mas ela fazendo-me pressão e perguntando-me com tanta ternura, tive que contar o meu segredo; sem rir de mim, ela me perguntou como poderia me ajudar a converter o meu pecador ;aceitei de boa vontade, pois o meu desejo era que todas as criaturas se unissem a mim para implorar a graça em favor do culpado.Senti no fundo do coração que as nossas intenções iriam ser escutadas; mas, para ter coragem e continuar a rezar pelos pecadores, disse ao bom Deus que estava convencida do seu perdão para o infeliz Pranzini:e eu confiaria no perdão mesmo que este não se fosse confessado e não tivesse dado sinais de arrependimento, tanta era a minha confiança na misericórdia infinita de Jesus,somente eu pedia um “sinal” de arrependimento para minha simples consolação… A minha oração foi atendida à perfeição! Apesar da proibição do papai de ler os jornais, não cai em desobediência lendo as notícias sobre o Pranzini. O dia seguinte durante a sua execução capital, me encontro com o jornal: “La Croix”. Abro com ânsia, e o que vejo? Ah, as minhas lágrimas traíram a minha emoção, e fui obrigada a esconder-me. Pranzini não se era confessado,mas subindo no patíbulo e prestes a passar a cabeça no lúgubre buraco, de repente tomado por uma inspiração repentina, retorna, pega o Crucifixo que o sacerdote o estava apresentando, beija três vezes as feridas divinas! Depois a sua alma segue para receber o julgamento misericordioso Daquele que diz :” Haverá maior alegria no céu por um pecador que se arrepende, do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento” (História de uma alma,135)

 6.Como você pode notar, temos um tesouro imenso nas nossas mãos. É o tesouro que Cristo nos deixou: a sua presença salvadora, que põe à nossa disposição os méritos infinitos do seu sacrifício, da sua paixão e da sua morte. Portanto, não temas. Sempre que tiver a possibilidade, faça celebrar Santas Missas para os vivos,principalmente para a saúde das suas almas, pela conversão e a salvação eterna. É em favor deles , a maior ação de caridade que você poderia oferecer. Te desejo todo o bem, lembro de ti ao Senhor e te abençoou.

 Padre Angelo

Questo articolo è disponibile anche in: Italiano Inglês Espanhol Francês Alemão Português