Questo articolo è disponibile anche in: Português Italiano Espanhol Francês Alemão

Bom dia, padre,

Gostaria de lhe perguntar o seguinte: estando convencido, como o senhor mesmo já explicou, da autoconsciência de Jesus desde a sua concepção, como se deve ler as palavras “crescia em sabedoria … diante de Deus e dos homens”?

Além disso, o que significa a ciência dos assuntos humanos de Jesus? Agradeço antecipadamente a sua resposta.


Caríssimo,

1. Seguem as sentenças dos Santos Padres reunidos de S. Tomás sobre esse ponto.

São Tomás, convencido como era de que Cristo tinha plena consciência de Si próprio desde o primeiro instante da Sua existência e, de fato, desde esse primeiro momento Ele tinha perfeito conhecimento, disse que Ele crescia em sabedoria e graça na Sua manifestação perante os homens.

2. Na Catena Aurea São Tomás relata o pensamento de Teofilacto de Ocrida, um preceptor do século XI que viveu na corte de Constantinopla e que deixou um valioso comentário sobre os Evangelhos e muitas homilias: “Mas alguns dizem: De que forma pode ser igual ao Pai em substância aquele de quem se diz crescer como se fosse imperfeito?

Porém não se diz que adquire crescimento na medida em que Ele é o Verbo, mas na medida em que Ele se tornou homem.

E se de fato progrediu depois de ter se tornado homem aquele que anteriormente era imperfeito, por que lhe damos graças na medida em que se encarnou por nós?

De que forma, se Ele é a verdadeira sabedoria, pode ainda aumentar em sabedoria?

Ou de que forma aquele que concede a graça aos outros pode ele mesmo progredir em graça?”.

E aqui está a resposta: “O Verbo perfeito tornou-se homem por ser a virtude e a sabedoria do Pai.

Mas como tinha de assumir os traços da nossa natureza para não ser considerado como algo estranho por aqueles que o viam, enquanto homem se manifestava como alguém que crescia no corpo e era diariamente estimado como mais sábio por aqueles que o viam e o escutavam”.

Portanto, o crescimento estava na sua manifestação e na compreensão daqueles que o viam.

3. São Gregório Nazianzo, um dos quatro grandes doutores da Igreja Oriental, também pensava da mesma forma: “Pois se diz que Ele progrediu de acordo com a humanidade, não porque recebeu um crescimento que já era perfeito desde o início, mas porque se manifestou pouco a pouco”.

4. Finalmente relata o pensamento comum dos orientais: “Ele cresceu primeiro de tudo no corpo de acordo com a idade, avançando o corpo para o estado viril; na sabedoria através daqueles que foram instruídos por Ele nas coisas divinas; na graça pela qual somos elevados.

Crescia, portanto, comunicando sabedoria e graça aos homens.

5. A frase tradicional é resumida da seguinte forma por um estudioso bíblico do século XX, o dominicano Marco Sales:

Crescia em sabedoria. Em Jesus Cristo, além da ciência divina, que lhe pertence como Deus, há também a ciência humana, que lhe pertence como homem. É evidente que as palavras do Evangelista se referem à ciência humana.

Mas os teólogos distinguem em Jesus Cristo uma tríplice ciência criada: a ciência beata, pela qual a alma de Jesus vê a essência de Deus e todas as coisas Nele contidas; a ciência infundida, pela qual conhece todas as coisas através de formas inteligíveis recebidas imediatamente de Deus; ciência adquirida ou experimental, pela qual conhece as coisas por formas inteligíveis abstratas das coisas sensíveis.

Desde o primeiro momento da sua concepção, Jesus tinha a ciência beata e a ciência infundida em toda a sua plenitude e perfeição e nelas não fez qualquer progresso.

Na ciência adquirida, por outro lado, Jesus sempre progrediu na proporção em que os seus sentidos se tornaram mais perfeitos e receberam novas impressões.

Em idade. O grego elikìa pode significar tanto a idade como a estatura. Este segundo sentido é mais provável.

Em graça. A graça de Jesus progrediu não de acordo com o hábito, que era perfeito e imutável, mas de acordo com os efeitos, ou seja, na medida em que Jesus foi crescendo fez cada vez mais obras maravilhosas, que eram cada vez mais gratas a Deus e O tornaram mais aceito pelos homens”.

Desejando-te um crescimento cada vez maior em sabedoria, em graça e em anos de vida, lembro-te ao Senhor e te abençoo.

Padre Angelo