Questo articolo è disponibile anche in: Italiano Inglês Espanhol Português

Pergunta

Querido Padre Angelo,

Vivo no exterior há 4 anos, sou católico, mas minha fé vacila …

Eu gostaria de saber: quando eu cometo pecado grave e não posso ir confessar, posso pedir perdão a Deus diretamente em oração enquanto espero pela confissão ou recitar o ato de contrição para obter o pronto perdão de Deus?

Obviamente, a confissão será feita em seguida …

Obrigado

Massimo


Resposta do sacerdote

Caro Massimo,

1. Deves fazer exatamente assim.

Um ato de contrição perfeito com a intenção de confessar assim que tiver a oportunidade já leva a graça de Deus, mesmo que isso ainda não te dê a possibilidade de comungar.

2. Realizamos um ato de contrição perfeito quando nos arrependemos de ter expulsado Deus de nossas vidas e crucificado o Senhor em nossos corações novamente.

3. Se, por outro lado, nos arrependemos apenas pelo medo de ir para o inferno, embora essa contrição seja boa, ela é chamada de imperfeita. De fato, nos lamentamos mais pelas dores que recebemos do que pelo mal que fizemos.

4. Ao recitar o ato de contrição, a Igreja nos guia para realizar um ato de contrição perfeito.

Quando dizes: porque pecando não só mereci as penas que justamente estabelecestes, estás expressando um ato de contrição imperfeito, também chamado atrição;

Quando dizes: mas principalmente porque vos ofendi a vós, Sumo Bem e digno de ser amado sobre todas as coisas, expressas um ato de contrição perfeito, também chamado de contrição.

5. Não somente é bom fazer imediatamente um ato de contrição perfeito assim que se percebe que se perdeu a graça de Deus, mas é indispensável por várias razões:

Em primeiro lugar, porque é quase impossível permanecer por algum tempo em pecado mortal sem cometer novos pecados, que ofendem a Deus e pioram nossa situação.

São Gregório Magno diz: “O pecado não reparado imediatamente pela penitência, com seu peso arrasta para outros pecados” (Em Ezechielis homilia, 11).

Em segundo lugar, por causa do perigo de se perder eternamente por morte súbita.

A Sagrada Escritura adverte repetidamente contra essa possibilidade quando exorta: ” Não demores em te converteres ao Senhor, não adies de dia em dia, pois sua cólera virá de repente, e ele te perderá no dia do castigo” (Eclo 5,8-9); “Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora” (Mt 25,13); “Estai, pois, preparados, porque, à hora em que não pensais, virá o Filho do Homem” (Lc 12,40).

Em terceiro lugar, porque permanecer voluntariamente em pecado mortal, especialmente se for por muito tempo, manifesta um certo desprezo por Deus, já que viver em amizade com Ele é pouco estimado.

Em quarto lugar, porque todas as boas obras feitas sem a graça de Deus não merecem a vida eterna. Jesus disse claramente: “quem não ajunta comigo, espalha” (Mt 12,30).

Por todas estas razões, é muito conveniente que nos libertemos do pecado imediatamente e nos arrependamos o mais rápido possível.

Asseguro-te uma oração para uma boa e frutuosa Quaresma.

Saúdo-te e te abençoo.

Padre Angelo