Questo articolo è disponibile anche in: Italiano Português

Louvados sejam Jesus e Maria!

Caro padre Angelo, gostaria de lhe perguntar: por que Deus escolheu Israel como o povo eleito?

Desde já agradeço e que Deus o abençoe e Nossa Senhora o proteja.


Resposta do sacerdote

Caríssimo,

1 – O próprio Deus nos deu a resposta.

Pois lemos no livro de Deuteronômio: “Não é porque sois mais numerosos que todos os outros povos que o Senhor se uniu a vós e vos escolheu; ao contrário, sois o menor de todos” (Deut 7,7).

Assim, o homem é privado de qualquer razão para confiar em sua própria força.

Em tudo, ele deve contar com a força e a ajuda que vêm de Deus.

2. Na mesma linha, lemos no livro de Deuteronômio: “Não digas no teu coração: ‘A minha força e o vigor do meu braço adquiriram-me todos esses bens’. Lembra-te de que é o Senhor, teu Deus, quem te dá a força para adquiri-los, a fim de confirmar, como o faz hoje, a aliança que jurou a teus pais. Se, esquecendo-te do Senhor, teu Deus, seguires outros deuses, rendendo-lhes culto e prostrando-te diante deles, desde hoje vos declaro que perecereis com toda a certeza” (Deut 8,17-19).

3. E ainda: “Depois que o Senhor, teu Deus, os tiver expulsado de diante de ti, não digas no teu coração: ‘Por causa de minha justiça é que o Senhor me introduziu na posse dessa terra’. Porque é por causa da perversidade dessas nações que o Senhor as despoja diante de ti. Não é pela tua justiça nem pela retidão do teu coração que entrarás na posse de suas terras, mas é por causa da perversidade dessas nações que o Senhor as despoja diante de ti. E é também porque o Senhor, teu Deus, quer cumprir a palavra que deu com juramento a teus pais, Abraão, Isaac e Jacó. Sabe, pois, que não é pela tua justiça que o Senhor, teu Deus, te dá a posse dessa terra excelente, porque és um povo de cabeça dura” (Deut 9,4-6).

Assim como Israel não deve atribuir nenhum mérito a si mesmo, o mesmo deve acontecer com cada um de nós: tudo o que temos, temos de Deus, é conservado por Deus e nos será dado por Deus.

4. Esse tema será retomado no Novo Testamento por São Paulo: “Vede, irmãos, o vosso grupo de eleitos: não há entre vós muitos sábios, humanamente falando, nem muitos poderosos, nem muitos nobres. O que é estulto no mundo, Deus o escolheu para confundir os sábios; e o que é fraco no mundo, Deus o escolheu para confundir os fortes; e o que é vil e desprezível no mundo, Deus o escolheu, como também aquelas coisas que nada são, para destruir as que são. Assim, nenhuma criatura se vangloriará diante de Deus” (I Cor 1, 26-29).

5. Afinal de contas, Jesus chamou pobres pescadores para fundar a Igreja para que ficasse claro para todos, de uma vez por todas, que a força da Igreja não está em seus homens, mas Naquele que está presente e age por meio dela.

Se fosse apenas por seus homens, a Igreja teria desaparecido mil vezes.

Nela e por meio dela age Aquele que disse a São Pedro: “Feliz és, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne nem o sangue que te revelou isto, mas meu Pai que está nos céus. E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16,17-18).

Eu o abençoo, lembro de ti em oração e te desejo todo o bem.

Padre Angelo