Questo articolo è disponibile anche in: Italiano Português

Pergunta 

Caro Padre Angelo,

Em primeiro lugar, gostaria de perguntar como você está. Informo-vos que o pecado impuro que, quando vos escrevi pela primeira vez, tanto me aborrecia, graças à preciosa ajuda divina e aos vossos conselhos, já me deixou há vários meses, por isso me sinto muito melhor. Agora, porém, gostaria de pedir sua opinião sobre outro assunto, a saber, a homossexualidade. Descobri recentemente que sou homossexual e ao mesmo tempo sou católico e obviamente não vou renunciar a minha fé. Para isso, te pergunto o que você pensa sobre isso. Acho que posso ser cristão e receber a Comunhão independentemente da minha orientação sexual, afinal somos todos iguais perante Deus. Na sua opinião, uma pessoa pode ser católica também vivendo sua sexualidade de maneira diferente, sem procriar?

Agradeço. 

Emanuele


Resposta do padre 

Caro Emanuele,

1.Estou feliz com a vitória que você conquistou sobre o autoerotismo. 

Você escreve que você se sente “muito melhor”. 

Como poderia ser diferente quando o próprio Deus disse pela boca de Moisés: “Cuida, pois, de fazer conforme o Senhor teu Deus te ordenou. Não se desvie para a direita ou para a esquerda; andai em tudo no caminho que vos ordenou o Senhor vosso Deus, para que vivais, e sejais felizes, e sejais muito tempo na terra que haveis de possuir” (Dt 5:32-33).

2. O Concílio Vaticano II afirma com razão que, na experiência do pecado, “o homem se encontra dividido em si mesmo” e “sente-se acorrentado” (Gaudium et spes, 13). 

O pecado é, além disso, uma diminuição para o próprio homem, na medida em que o impede de atingir sua própria plenitude” (Ib.).

3. Você me disse que descobriu recentemente que tem inclinações homossexuais.

Você também me diz que é católico e que obviamente não renunciará à sua fé. 

Ora, ter inclinações homossexuais não é incompatível com a vocação à santidade, ou seja, à verdadeira felicidade. 

E a propósito exorto-vos a manter sempre viva a meta à qual o Senhor chama todos os homens. 

É uma meta sobrenatural que nos convida a viver com Jesus, em Jesus e para Jesus.

4. Viver com Jesus, em Jesus e para Jesus. 

É a amizade mais bonita, profunda e duradoura que se pode ter. 

Jesus é um amigo que não está apenas ao lado, mas dentro do coração de quem vive na graça. 

Eis o que diz profeticamente a Sagrada Escritura sobre ele: «A sua companhia não dá amargura, nem dor de viver com ele, mas contentamento e alegria» (Sb 8, 16).

5. Viverás como amigo de Cristo se observares os seus mandamentos, aqueles mandamentos que só querem afastar de ti o mal e dar-te a felicidade plena. 

Jesus diz: “Quem aceita os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama. Quem me ama, será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele” (Jo 14,21). Se você fizer isso e viver em estado de graça, se sentirá invadido pela presença e pelo amor de Deus Pai. Você também sentirá a presença palpitante de Jesus em seu coração, especialmente na Santa Ceia. E podereis tocar a fidelidade à sua promessa: “Também eu o amarei e me revelarei a ele” (Jo 14,21).

6. Por falar em Comunhão, aproveito para dar a conhecer a experiência de uma criança que faleceu há alguns anos (20 de julho de 2010) aos 9 anos de idade devido a uma grave doença. É uma criança (Manuel Foderà) que em seu sofrimento recebeu muitas graças e iluminações do Senhor. Eu não ficaria surpreso se o Senhor logo o colocasse no alqueire para iluminar todos os que estão na casa. Ele havia escrito ao seu Bispo: “Bispo, por favor, você pode dizer aos seus padres que acostumem todos a pelo menos cinco minutos de silêncio para poder falar e ouvir Jesus em seus corações? Pense na última pessoa a receber a Comunhão, ela não tem tempo nem para dizer “olá” a Jesus!”

7. A seguir escreve para todos: “Meu querido amigo Jesus Eucaristia. 

Queridos amigos, quero falar-vos de como Jesus está presente na Eucaristia. 

Você sabe: Ele te ama muito e se faz sentir e ver na santa Comunhão. 

Não acredita? Tente se concentrar, sem se distrair. Feche os olhos, ore e fale porque Jesus vai te ouvir e falar ao seu coração. 

Não abra os olhos logo porque essa comunicação para e não volta mais! 

Aprenda a ficar em silêncio e algo maravilhoso acontecerá, porque quando ele entra, ele se torna uma BOMBA DE GRAÇA que faz você se sentir protegido e seguro. 

Fique na companhia dele. 

Este é o momento mais bonito porque na Comunhão ele te dá sua santa bênção. 

Se você estiver doente, Ele lhe dará forças para suportar todo o sofrimento. 

Se você está triste, Ele lhe dará forças para sorrir. 

Se você está entediado, Ele lhe dará Sua alegria. 

Se você estiver com raiva e nervoso, Ele lhe dará forças para se acalmar. Tudo isso só pode acontecer se você confiar nele porque ele te ama muito mais do que você pode amá-lo! 

Com amor, Manuel. 

21 de fevereiro de 2010”.

8. Como você pode ver, vale a pena desistir do pecado para ter experiências como essas. 

Aqueles que vivem segundo a carne não entendem essas coisas e as consideram loucura, como diz São Paulo: “Para ele são loucura e ele não é capaz de entendê-las, por causa delas se pode julgar pelo Espírito” (1 Cor 2:14).

9. Portanto, mantenha-se puro para desfrutar sempre daquele Amigo, cuja pre

sença” não dá amargura nem dor para viver com ele, mas contentamento e alegria”. É uma empresa incompatível com o pecado. 

Concebo que você tenha entendido completamente a mensagem que eu queria comunicar a você.

Acompanho-vos com a minha oração e abençoo-vos. 

Padre Angelo