Questo articolo è disponibile anche in: Italiano Inglês Espanhol Português

Pergunta

Prezado Padre Angelo

Estou acompanhando o jejum quaresmal antes do Concílio Vaticano II, mas uma pergunta me veio à mente.

Os dias da Solenidade de São José e da Anunciação do Senhor eram considerados dias de Jejum? Eu sabia que se essas datas caíssem em uma sexta-feira não haveria abstinência de carne, mas não encontrei nada sobre jejum.

No sábado, imediatamente após as Vésperas, há jejum ou como a Solenidade já começou se está isento?

E quais eram as práticas penitenciais na época da Septuagésima?

Agradeço antecipadamente pelas suas respostas.


Resposta do sacerdote

Caríssimo,

1. A festa de São José nunca poderia cair na Sexta-feira Santa ou na Quarta-feira de Cinzas. Se caísse na Semana Santa, a festa seria antecipada, como acontece ainda hoje.

Para a Anunciação, se caía durante a Semana Santa, era sempre comemorada depois do domingo in albis, como ainda hoje é feito.

Se a festa de São José caísse em uma sexta-feira da Quaresma, tinha a dispensa da abstinência de carne e do jejum.

2. Desejas fazer penitência como costumava ser feito antigamente e perguntas o que era feito na época da Septuagésima.

Bem, antes da reforma litúrgica implementada pelo Concílio Vaticano II, o tempo da Quaresma era precedido por três domingos que eram chamados respectivamente Septuagésima, Sexagésima e Quinquagésima.

O domingo de Septuagésima caía cerca de 70 dias antes da Páscoa. Daí seu nome.

Essas três semanas foram chamadas de forma simplificada de tempo Septuagésima.

3. Originalmente, a preparação para a Páscoa compreendia apenas os quarenta dias da Quaresma.

Mas como no Oriente, além do domingo, nem mesmo no sábado se jejuava, pensou-se em completar os dias de jejum que faltavam, antecipando a observância quaresmal.

Os monges, em particular, faziam isso.

4. No Ocidente, a prática foi introduzida gradualmente. Inicialmente, o jejum foi antecipado de uma semana e por isso foi chamado de Quinquagésima.

Pouco tempo depois, a Sexagésima foi acrescentada até que, no final do século VI, a Septuagésima também foi incluída.

5. Os nomes Quinquagésima, Sexagésima e Septuagésima no Oriente correspondem aos números 50, 60 e 70 dias antes da Páscoa, apenas aproximadamente.

A designação, que em si mesma teria a ver com as dezenas, foi cunhada em consonância com a palavra Quadragésima.

6. Na liturgia, esse período era semelhante ao da Quaresma, ou seja, com vestes roxas, sem o Glória e sem o Aleluia.

Falando em Aleluia, esse era suprimido até o Sábado Santo.

Nas Vésperas do sábado anterior à Septuagésima, os cantores acrescentavam duas Aleluias ao Benedicamus Domino, que se respondia com Deo Gratias, igualmente com duas Aleluias.

Esse gesto litúrgico veio a ser chamado de “a deposição do Aleluia” ou Clausum Alleluia (Aleluia colocado em reclusão) ou “a despedida do Aleluia”.

Essas designações mostram como tudo isso apelava para o espírito e imaginação de nossos padres, especialmente na Idade Média, que chegaram ao ponto de dramatizar o fato, representando a cessação dessa canção de alegria como a morte de um ente querido, que era acompanhada por cerimônias de tristeza, como a colocação de duas chaves simbólicas, chamadas “Chaves de Aleluia”.

Desejo-te tudo de bom, lembro-te ao Senhor e te abençoo.

Padre Angelo


Traduzido por Ana Christine Segobia Silveira